Pular para o conteúdo principal

15-Compassos compostos

O que são compassos compostos?
Não é muito difícil entender o que venha ser, e nem como é a execução dos compassos compostos.
Eles são uma derivação dos compassos simples.

Os compassos simples são denominados assim porque suas figuras de som são divisíveis por dois, como mostrado no (capítulo 04).

Como disse; os compassos compostos são uma derivação dos compassos simples.
Para obtermos um compasso composto a partir de um compasso simples é bem fácil.
  • Pegamos a fração de compasso de um compasso binário simples, 2/4.
  • Multiplicamos o numerador (número de cima) por 3 e o denominador (número de baixo) por 2.
  • O resultado será uma outra fração de compasso, 6/8. Ela nos indica que em cada compasso terá 6 colcheias.
  • Esta nova fração, 6/8, é a fração de compasso do compasso binário composto.


Para obtermos as frações dos compassos ternários compostos e quaternários composto, é só pegar os numeradores dessas frações e multiplicar por três e seus denominadores multiplicar por dois, como fizemos com a fração 2/4.








Como se executam os compassos compostos?


Este é um compasso binário simples. Sua execução nos já conhecemos.
Já o compasso a seguir, é um compasso binário composto. Cada um de seus DOIS tempos se subdivide em três terços de tempo.
O importante na execução de qualquer tipo de compasso é sempre respeitar a duração das notas . E mais; compasso composto é tão fácil como o compasso simples.
Exemplos de compassos compostos, binários ternérios e quaternários com áudio.
Compasso Binário composto. (clique na imagem para ampliar)
Compasso ternário composto. (clique na imagem para ampliar)

Compasso quaternário composto. (clique na imagem para ampliar)



Postagens mais visitadas deste blog

12- Exercícios de solfejo

Olá! Neste capítulo, são apresentadas 9 lições de solfejo.

O objetivo é proporcionar a você a oportunidade de poder por em prática algo do que pode aprender sobre música atá agora, seja neste blog ou em outras fontes de consulta. SOLFEJO Consiste em entoar as notas das melodias propostas, respeitando sua altura correta, e sua divisão ritmica. Somente intensificando o contato com a música, é que alcançamos degraus mais altos em nossa evolução musical. Como próxima matéria, serão apresentadas lições de divisão rítmica, o que irá ajudá-lo(a) ainda mais no objetivo de tocar algum instrumento, ou simplesmente de ler bem uma partitura. Abaixo de cada figura, será colocado um link para que se possa baixar o áudio da figura sob a qual o link estiver.

Vale lembrar que cada link, é próprio de uma figura. Cada figura terá seu arquivo de áudio. Se você achar que as imagens estão pequenas, dificultando seu estudo, basta clicar sobre elas para ampliá-las.

BONS ESTUDOS! Aprenda como baixar o áudio…

13-Divisão rítmica (exercício)

Para que você não tenha dificuldades de entender e executar os exercícios de leitura rítmica aqui propostos, aqui vai uma breve explicação sobre como interpretar as diferentes combinações de figuras de som. Assim como nós, ao aprendermos a ler, juntamos as letras e sílabas, com seus diferentes sons, para formar as palavras; Assim também, na construção do ritmo é preciso juntar as diferentes figuras de som e pausa e respeitar suas durações.
O que quero dizer com isso é que pra você ter mais fluência na leitura dos ritmos, você precisa tratar figuras de som como se fossem letras, e as combinações dessas figuras como se fossem sílabas, cada uma com seu som.
Abaixo, estão alguns exemplos de diferentes combinações de figuras de som e sob cada uma delas, um link para você poder baixar o áudio e ouvir a execução de cada (sílaba).

Aprenda a baixar o áudio.
Áudio com a execução da semibreve.

Áudio com a execução da mínima.

Áudio com a execução da semínima.

Áudio com a execução das colcheias.

Áudio co…

11-Sustenido e Bemol

O conteúdo já transmitido, nos dá base para tocarmos muitas músicas. Os demais elementos musicais serão passados oportunamente mais adiante. Sustenido e Bemol As notas musicais do, re, mi, fa, sol, la, si, possuem entre elas uma certa distância sonora.

Não estamos falando do volume de som das notas, mas sim das diferenças de entonação entre os sons delas, umas são agudas, outras médias, outras graves.

Essa distância sonora determina os diferentes sons que cada uma delas tem. A menor "distância", ou diferença sonora, entre duas notas é a distância padronizada pelo sistema tonal ocidental, conhecida pelo nome de semitom, mas temos a capacidade de ouvir distâncias sonoras menores, como acontece na música indiana, por exemplo.
No sistema tonal ocidental algumas notas são separadas de outra por intervalo de semitom.
Já outras notas são separadas por intervalo de tom, que é a junção de dois semitons.

Exemplo:

Da nota para a nota existe a distância de um tom. (dois semitons)
En…